Magistrados federais anunciaram recentemente a sentença de quatro anos de prisão contra Rodrigo de Rato, ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), na Espanha.

O réu que é economista e político foi acusado com 80 membros da comunidade financeira espanhola, de gastar cerca de 15 milhões de euros, com safaris e discotecas.

Todas as despesas foram pagas com dinheiro desviado por cartões corporativos de conglomerados bancários. Outras 64 suspeitos foram condenados de desviar recursos.

As informações da prisão do banqueiro são de repórteres da Agence France Press (AFP).

Nenhum comentário:

Postar um comentário