Foi confirmada oficialmente pela imprensa internacional, a libertação do ex-presidente Hosni Mubarak que foi condenado a prisão perpétua por executar 239 pessoas, no Egito.

O militar que comandou o país africano entre 1981 e 2011 teria consentido o massacre contras militantes opositores. Entretanto recursos culminaram na absolvição do mesmo.

Mesmo inocentado do genocídio ele ainda responde por crimes de corrupção financeira.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário