CORREIO CAPIBARIBE RELEMBRA MASSACRE SUICIDA DE JONESTOWN


Em 18 de novembro de 1978, o mundo testemunhou o maior suicídio em massa da história idealizado pelo fanático religioso James Warren Jones (1931-1978), em Jonestown, na Guiana.

Conhecido por milhares como reverendo Jim Jones - mesmo sem nunca ter sido ordenado oficialmente; o mesmo fundou em 1955, o Templo do Povo, em Indianápolis, nos Estados Unidos.

Denominando-se equivocadamente evangélico, o líder do movimento começou a pregar sobre os conflitos étnicos e propagou teorias suicidas entre seus fieis latino-americanos e estadunidenses.

Em seus últimos anos de trajetória, Jim Jones fundou a comunidade agrícola de Jonestown, no Noroeste da Guiana Inglesa; onde coordenou o suicídio de 918 pessoas de sua doutrina religiosa.

O trágico episódio ocorreu horas depois dele ordenar a morte do senador norte-americano Leo Ryan (1925-1978), o qual tentou ajudar vários adeptos do movimento recrutados forçadamente.

O mais chocante é que parte das pessoas morreram após tomar veneno voluntariamente. Depois do suicídio coletivo Jim Jones foi encontrado morto com um disparo de arma de fogo na cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário